Violência no Futebol


Violência é um assunto muito importante, mas à anos ninguém age para resolver a questão.
Abaixo vou apontar, para mim, quais são os principais motivos de tanta violência no futebol:
1. Torcidas Organizadas - As torcidas organizadas são o principal motivo da violência no futebol. Estas instituições atraem delinquentes, que encontram espaço para usar o futebol para estabelecer o seu estilo violento de vida.
As torcidas organizadas disputam entre si, qual é a mais temida. Qual é a organizada que "apavora", como dizem eles, com emboscadas e conflitos. As mortes de membros de outra organizada são troféus para a facção assassina.
"Alianças", são constituídas entre torcidas de estados diferentes, para que as caravanas possam ser "protegidas" pela torcida "amiga", contra as rivais no estado visitante.
Torcedores organizados não torcem para o time, não gostam de futebol e nem de esporte, eles torcem pela torcida e estão dispostos a dar suas vidas em nome da facção. E se acham mais torcedores que os outros.
Exceções? Sempre há. Mas o âmago das torcidas organizadas é o ódio entre torcidas rivais.
Sem a extinção das torcidas organizadas, o futebol nunca terá paz.
Alternativa: para que as festas nos estádios não sejam prejudicadas com o fim das organizadas, concordo com a sugestão do presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, que os clubes deveriam organizar suas torcidas uniformizadas. Ou seja, não existiriam mais Torcida Blablá, Torcida Pra Lá, mas Torcida do Corinthians, do Flamengo, do Grêmio, etc. Elas teriam bandeiras, baterias, alegorias e cânticos, para o estádio inteiro, deixando o incentivo ao time, como responsabilidade para todos os torcedores e não mais para um grupo específico.
2. Justiça - Assassinatos, agressões e vandalismo, são fatos comuns a cada rodada de futebol no Brasil, mas ninguém é preso. Quando um crime é realizado por grupos, parece que a polícia e as leis brasileiras não são suficientes para punir os culpados. Se um passageiro, por exemplo, der um piti e quebrar qualquer coisa em um aeroporto, os seguranças e a polícia vão deter o vândalo. Se um grupo de torcedores organizados barbarizarem o mesmo aeroporto, eles vão para casa comemorando o prejuízo causado, sem punição alguma.
A impunidade é um câncer para a sociedade.
Justiça para todos.
3. Rivalidade e não ódio (vamos blindar a cultura da paz) - Preconceito, perseguição e antidesportividade. Acompanho futebol a quase trinta anos. E tenho percebido, principalmente com a internet, que um sentimento estranho, distorcido e principalmente perigoso, está tomando conta do torcedor brasileiro: o ódio.
Estou falando do movimento "anticorintiano" que tem tomado conta do futebol.
Não estou falando para defender o Corinthians, porque sou corintiano, mas porque vejo que está sendo disseminado um veneno contra o esporte nacional.
Muitos discordam deste argumento, dizendo que todos os clubes tem torcedores que torcem contra, tiram sarro uns dos outros, etc. E que os corintianos para se autopromoverem, se fazem de vítimas e criaram tal perseguição.
Não vejo assim.
Torcer contra, tirar sarro e rivalidade fazem parte do futebol, mas preconceito e perseguição não é um fenômeno esportivo, mas segregação social.
Talvez você ache que eu esteja exagerando, mas é só um passeio rápido em sites que ajam notícias sobre o Corinthians, que você verá que a rivalidade entre corintianos e outros torcedores, deixou a desportividade e virou ódio, passou da competitividade campal para um universo social. 
Tudo que envolve o Corinthians é contestado, não por ser justo ou injusto, mas por envolver um rival clubístico, principalmente nas discussões de assunto fora da espera esportiva.
Não estou dizendo isto porque acho que os corintianos são vítimas, só estou dizendo que corintianos, rivais, imprensa e dirigentes, deveriam observar que as coisas estão extrapolam os limites e deveriam repensar esta rivalidade distorcida, tomando medidas para que este sentimento de ódio não controle o futebol, e casos como este que envolve o Corinthians, não contamine outras rivalidades de clubes no Brasil.
Muitos corintianos menosprezam esta perseguição, dizendo que ela fruto de inveja dos rivais. Eu não. Não gosto desta relação entre torcedores, porque tenho medo que tragédias possam acontecer em função desta anomalia cultural no esporte.

Futebol é um esporte. E sendo um esporte, tem a função de divertir, gerar amizades e dar exemplo social, exaltando valores como determinação, superação, disciplina, competitividade, paz e celebração do convívio de um povo.
Tudo fora disto deve ser refutado da cultura no País do Futebol.
Brasil, vamos refletir e agir na prevenção, e não só na reação das tragédias.

Um comentário:

  1. Du,

    vivemos época complicada. A intolerância atinge níveis incríveis, e não só no futebol, mas em todos os seguimentos da sociedade dita oranizada.

    eu venho em uma campanha solito e silêncioso, contra esse tipo de coisa em nosso esporte favorito.

    sou contra clubismo, bairrismo e qualquer outra coisa do gênero. Por essas coisas presenciamos a difamação de craques que o mundo referencia, mas aqui não, só o torcedor do time do cara que acha que ele merece, achamos que que o outro torcedor é nosso inimigo e não adversário(mas isso é no mundo inteiro)...vai entender????

    É preciso reaprender os valores do esporte. O que ele representa e o peso que ele deve ter em nossas vidas, hoje como esta, esses valores estão totalmente detupardos. Ou fazemos isso, ou caminhamos para o fim do esporte.

    BLOG DO CLEBER SOARES
    www.blogdoclebersoares.com

    SOMOS FLAMENGO
    somosflamengo33.blogposto.com

    ResponderExcluir

Obrigado por seus comentários, nosso consultório sempre estará de portas abertas!